Eu mesmo

Meu nome é Israel Jalles, sou um aspirante a jornalista, garimpando e galgando para ser “impreterivelmente”(advérbio corporativista) o mais “legitimo” possível. Como a maioria dessa classe, tenho inclinação por me ocupar com ocorrências aleatórias como observar pessoas e suas “singularidades”, verificar os fatos e acontecimentos diários, pois a noticia é um devir. Esquadrinhar episódios históricos para formular e estruturar textos. Além de coisas excêntricas como comer chocolate enquanto corro na esteira da academia (Opa, isso estava no meu clipboard, colei por engano – APAGUE ESTA PARTE NA EDIÇÃO POR GENTILEZA), ler, escrever, conversar (falar com moderação – o imprescindível é saber ouvir). Consigo com certa maestria misturar a concepção do que sou e do que faço; suspeito que conscientemente. Aprecio com fervor um boteco, ótimo lugar para deliberar sobre pautas. Acredite! Esse ambiente suscita a imaginação/criatividade”. Contudo, com a ressalva de que isso pode causar frequente e permanente amnésia alcoólica acerca de fatos pessoais. Por esse motivo já esqueci quase tudo sobre mim. Desta forma, optei por retratar aqui a historia de um personagem, pois é o que eu faço de melhor, relatar. Sempre apurando muito bem os fatos!

Este blog foi feito com o proposito deliberado de servir como suporte para meus textos produzidos na faculdade, e outros concebidos durante meus momentos de tédio, ócio, contradições, abstrações, subjetividades e infindáveis inquietações que carrego… Etc.!

Deixarei aqui quinzenalmente, um bramido anelante de meu fascínio manifesto pela escrita e tudo mais pertinente e pertencente a ela… Sem falso pudor, ou pseudomoralismo. Quero-me liberto nas linhas a redigir para cometer qualquer imprecisão, acerto e ou licença poética, sem verrinas. Apenas o alento da inspiração proveniente de qualquer pormenor que alcance as vísceras oculares ou uma centelha neural que emane do inconsciente, etc. e tal.