Trôpego entre vozes surdas, “passeios” públicos…

Michael Semensohnsub etternavn

 

Tristeza exacerbada que esbarra em plena multidão, que às vezes obriga entre muitos a quase total supressão dos movimentos. Que não aprisiona apenas o corpo, mas também a mente, invadindo os espaços íntimos de seu zéfiro físico com odores atrozes, e constrange sua vitima silenciosamente; persiste bruto e contundente em seu trajeto, angustiando-a para que solte um berro de misericórdia.

Outrora este indivíduo é envolvido por suas adjacências soturnas do âmbito anônimo com uma fragrância sublime, aliciando seu adjunto quase que possessivamente, e logo hipnotiza a presa, que se torna um dependente químico daquela nuvem ondulante e impalpável de aromas.  E só se desprende aos trancos, com os empurrões ensandecidos de libertação da massa irascível.

Ali, a solidão está por todos os lados, intrinsecamente emaranhada e enterrada nos corações solitários da metrópole superpopulosa. Absorta e latente enquanto há espectadores a sua volta a olhar, mas se personifica em sentimentos desesperadores, quando está a sós com seus hospedeiros, seguros entre quatro paredes.

Tem dias que ela se debela e permite que eles explorem as adjacências de seus caminhos e vizinhanças a procura de alguém ou de algo. Em busca de uma companhia qualquer, mesmo que seja apenas uma xícara de café amargo (daquelas tentadoras, armadilha pronta para ludibriar com aquele vaporzinho malandro que exala ferozmente lembranças afáveis, e faz ceder a cada tragada quente de seu liquido escuro e incorporado a fantasias passadas – e suas nuances de sabores se misturam aos sentidos, numa simbiose);

E o que esses portadores inveterados almejam é algo ou alguém etéreo para refutar e obliterar esta danada que fustiga suas alegrias mais confortantes. E no vai-e-vem diário, entre os transeuntes desconhecidos, apressados, as íris se acariciam a distância sem ao menos se tocar… E em milésimos de segundos há aquiescência dos olhos ou uma sutil rejeição, e logo em seguida os séquitos já estão perdidos em outro objeto de desejo; inconsistentes, dispersos, divinos, contumazes, cheios de ímpeto e volúpia.

E quem diria que durante este flerte fugaz os pensamentos alheios poderiam demonstrar respostas imediatas as questões desses pretendentes transitórios, eles nunca saberão que suas sinapses estavam em mesma frequência, sintonizadas tenuemente em uma realidade paralela, abstrata.

Todavia, em outros dias, a solidão perfaz os corpos, transforma os, e os revelam como uma fortaleza panóptica, ela é uma sentinela suprema de sua morada.